Notícias

12/03/2019

Mês das Mulheres tem mostra de filmes e exposição sobre o Haiti

Para destacar o trabalho de mulheres protagonistas nas artes, a Secretaria de Estado da Cultura promove até o dia 31 de março o Mês das Mulheres com uma programação de exposições de arte, fotografia e mostra de cinema.

Nesta terça-feira (12), as atrações iniciam às 10 horas com a abertura da mostra "Sobre Vivências: um olhar feminino sobre o Haiti", da jornalista Daiane Andrade, no Museu do Expedicionário (MEXP).

Cerca de 50 fotografias sobre a vivência da repórter no país estarão expostas; Daiane participou da cobertura do fim da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), no fim de agosto de 2017.

A experiência também inspirou a série de reportagens “Do inferno à esperança – o Haiti que (sobre)vive em meio ao caos”, veiculada pela rádio BandNews. A jornalista é ainda coautora do livro A Trajetória dos Condenados – Rememórias, lançado pela editora Íthala. O MEXP fica à Rua Comendador Macedo, 655, e funciona de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h; sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h.

Na sequência, às 10h30, o hall do Teatro Guaíra recebe uma mostra que reúne figurinos das personagens femininas que passaram pelo Guaíra, como a Julieta, de Romeu e Julieta; Beatriz e Lily Braun, de O Grande Circo Místico; e a pequena Clara, de O Quebra-Nozes. De terça a sexta-feira, às 10h30 e 15h30 haverá visita guiada à mostra.

A programação também conta com a mostra em cartaz: “Ero Ere: artistas negras”, no Museu Paranaense, com obras de Claudia Lara, Elis Brasil, Fernanda Castro, Kênia Cristina, Lana Furtado, Lourdes Duarte e Walkyria Novais – as artistas formam o coletivo Ero Ere, que trabalha com diferentes técnicas a valorização da arte e seu vínculo ideológico, afetivo e ancestral. E a exposição de arte contemporânea “A razão da paisagem” de Geórgia Kyriakakis, no Museu Casa Alfredo Andersen (MCAA), que apresenta uma instalação com mesas suspensas que desnorteia o centro de gravidade com um conjunto de fotografias, demarcando a ação do vento em árvores.

CINEMA - Parte da mostra "Cinema de Mulheres", o Museu da Imagem e do Som do Paraná (Rua Barão do Rio Branco, 395) exibe, às 15 horas, o filme “O Mundo é Culpado”, de Ida Lupino (85’, 1950, EUA). A obra é uma das primeiras na história da sétima arte a tratar do tema estupro (recorrente dentro das tramas cinematográficas) sob o ponto de vista de uma mulher, por meio das cicatrizes que o crime deixa na protagonista do longa-metragem, Ann (interpretada por Mala Powers), e da culpabilização da vítima.

Antes de transformar-se em diretora, na década de 1950, Ida Lupino já tinha uma carreira de 20 anos como atriz. Para tornar-se cineasta, ela decidiu fundar a produtora de filmes independentes Filmmakers.

A entrada para todas as atrações do Mês das Mulheres é franca. A programação completa pode ser acessada aqui
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.